2 de mar de 2010

Ansiedade é fator de obesidade

Sintomas emocionais podem criar um desequilíbrio alimentar A ansiedade é uma característica biológica de todo o ser humano, que normalmente ocorre em momentos de medo, perigo ou tensão. Esse sintoma é marcado por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração acelerado, transpiração, entre outras formas. A vida agitada, correria, a pressão e o stress, acabam somando-se e tornam a ansiedade algo corriqueiro em nossas vidas. Dependendo do grau ou freqüência da mesma, pode se tornar uma doença patológica e acarretar muitos problemas posteriores. O fato, é que ter ansiedade ou sofrer dela, faz com que a pessoa perca uma boa parte de sua auto-estima, o que acaba deixando-a incapacitada de realizar certas tarefas ou até compensando esse desgaste emocional em outras coisas. A relação entre esse sintoma e o medo é muito próxima, de forma que o indivíduo acaba tendo receio de encarar situações diferenciadas em sua vida, evitando ao máximo pelo menos tentar. Como solução, algumas pessoas tendem a pender para o lado mais fraco e amenizam seus problemas emocionais através da comida. Segundo a psicóloga clínica Silvia Luciana Kotaka, as pessoas tendem a compensar suas complicações emotivas comendo, o que acaba ocasionando a obesidade inconsciente. Luciana é filiada do programa de Redução Afeto Cognitiva do Comportamento Alimentar,que lida especificamente com o comportamento emocional das pessoas. Nesse processo, o paciente é o próprio autor de seu emagrecimento, tomando consciência de que comer não é a melhor solução para suprir seus problemas emotivos. "Normalmente as pessoas, mesmo inconscientemente, acabam usando a comida como auxilio para os problemas emotivos, o que ocasiona a obesidade, de forma leviana", diz a psicóloga. Temos um foco específico que visa o emagrecimento a partir da vontade e determinação do próprio paciente, ou seja, ele mesmo torna-se responsável pelo emagrecimento, ignorando certos sentimentos emotivos que o leva a comer. Partindo desse ponto, a psicologia pode contribuir severamente para que as pessoas percam peso conscientemente. Luciana Kotaka Especialista em Obesidade e Transtornos Alimentares www.comportamentomagro.com.br

1 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá! Estou divulgando o meu conto O Diário de Bronson. Bronson é um abstinente alimentar novato e está sofrendo tudo que há de sofrível neste começo de calvário.
Gostaria de lhe convidar a dar uma olhada e quem sabe até um comentário para estimular o pobre Bronson nesta saga.
Abraço e agradeço antecipadamente pela atenção dispensada!
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com .

4/3/10
Este Blog tem a função de transmitir informação e NÃO faz parte de uma consulta com profissionais. É preciso saber que a individualidade existe e que não é tudo que funciona para todo mundo. Informe-se e procure um profissional na hora de aplicar a informação!
Obrigada a todos que passam por aqui!