18 de nov de 2009

Não vá para academia em jejum


 
Imagem: http://fitlabore.blogspot.com

Muitas pessoas teimam em ir para academia ou praticar sua atividade física em jejum. O descuido com a alimentação implica na performance e efeito do seu treino e nos seus objetivos com a prática.
Se pensa que treinar em jejum é uma alternativa poderosa contra os quilos extras, saiba que está tendo uma péssima escolha.


Deixar de comer compromete uma série de funções vitais e não ajuda em nada na dieta, pois o jejum prejudica o metabolismo (conjunto de transformações que as substâncias químicas do alimento sofrem em nosso organismo), e são essas reações que permitem a célula transformar os alimentos ingeridos em energia.

Para entender melhor as consequência de ficar muito tempo sem comer, confira a lista de mitos que a especialista desvenda abaixo.

1. Treinando em jejum, emagreço mais rápido?

Não. Durante a execução dos exercícios físicos, se você estiver em jejum, o seu nível de glicose no sangue pode estar muito baixo (hipoglicemia). Então, o seu organismo vai passar a consumir proteínas. Perde massa magra (músculos), diminui seu metabolismo e acaba mais fraco. A performance cai e o desgaste físico e emocional aumenta. Em condições normais, com alimentação equilibrada, o organismo consegue manter este equilíbrio interno. No entanto, ao jejum prolongado pode comprometer esse balanço energético.

2. Ficar muito tempo sem comer deixa o metabolismo mais lento?

Verdade. Depois de muito tempo sem comer, o metabolismo passa a funcionar mais lentamente, como tentativa de economizar energia. Como consequência, na próxima refeição, a tendência é acumular mais gordura. O ideal é não ficar sem comer por mais de 4 horas, distribuindo as refeições durante o dia.

3. O jejum acelera os resultados da dieta?

Falso. As pessoas normalmente relacionam a dieta como algo muito restritivo, acreditando erroneamente que a reeducação alimentar proibirá o consumo de certos alimentos. Embora uma boa alimentação possa ter certas limitações, não há proibições absolutas.

4. Ficar em jejum causa dor de cabeça?



Verdade. O cérebro não tem qualquer reserva energética e por isso, independente do estado nutricional é necessário que haja um suprimento de glicose, provenientes principalmente de alimentos fontes de carboidratos para este tecido. Situações de hipoglicemia, por exemplo, onde ocorre uma redução dos níveis de glicose sanguínea, podem acarretar perturbações no funcionamento do sistema nervoso central, que vão desde cefaléia, incoordenação de fala e motora, até alterações no eletroencefalograma e coma.

5. Ficar três horas sem comer não prejudica o organismo?

Verdade. Períodos curtos de jejum (de uma a três horas sem comer) não acarretam problemas. Esse é o tempo médio que o organismo leva para realizar a digestão e consequente absorção dos alimentos. Mas pessoas com tendência a hipoglicemia devem se alimentar a cada duas horas. Do contrário, podem surgir sintomas como visão turva, cefaléias, enjoos, vômitos, tremores.

6. Não tomar café diminui a capacidade raciocínio?

Verdade. Jejuns superiores a quatro horas podem resultar em lentidão dos movimentos, raciocínio confuso, perda de memória, dores musculares e de cabeça, tontura e até mesmo desmaios em alguns casos mais graves.

Quem persiste em tornar o almoço a primeira refeição do dia, está expondo o organismo a mais de doze horas em jejum.

Esse estado metabólico também pode favorecer consideravelmente o aparecimento de infecções já que o organismo está fraco devido a falta de nutrientes.


Cultive sua saúde.


Vânia Almeida - Educadora Física


0 comentários:

Este Blog tem a função de transmitir informação e NÃO faz parte de uma consulta com profissionais. É preciso saber que a individualidade existe e que não é tudo que funciona para todo mundo. Informe-se e procure um profissional na hora de aplicar a informação!
Obrigada a todos que passam por aqui!