22 de jul de 2011

Vamos Cuidar da Auto-Estima?

Vamos Cuidar da Auto-Estima? Por Rosangela Vecchi Bittar A auto-estima é conceituada no dicionário Aurélio como valorização de si mesmo envolve a perpecção de valor do indivíduo em relação a si e assumir seu lugar no mundo.Na vida contemporânea a auto-estima é abalada pelos conceitos e crenças estereotipadas apreendidas em confronto com a imagem que temos de nós mesmos. Absorve-se uma série de pré-requisitos atribuídos a fim de ser aceito e amado. A auto-estima está vinculada de: como nos vemos, de como nos sentimos, da imagem que projetamos para o mundo exterior. Muitas vezes por não se ter a aparência “socialmente aceitável” se é criticado, atacado, perseguidos sendo alvo de bulling nas escolas, no trabalho, na rua... esta relação com o outro acaba afetando o ego do indivíduo que se acha ter menos valor, não ser digno ou apto a ser bem sucedido e acaba infeliz, se escondendo, não se aceitando, sofrendo. Nossa aparência não é apenas questão estética mas também reflete nosso estado de espírito, nosso emocional. Você pode sair na rua toda arrumada, na última moda, mas estando emocionalmente desequilibrada esta mesma aparência fica afetada (os olhos perdem luminosidade, por vezes parados ou esbugalhados) a qualquer contratempo torna-se irritado nos gestos, palavras..... Para melhorar a auto-estima que afeta também o comportamento das pessoas, você precisa buscar se nutrir daquilo que faça bem, cercar-se de pessoas que a eleve, acarinhe.Como seres sociais que somos sofremos e interagimos com o meio ambiente. Numa doença crônica difícil existem aspectos que reduzem a auto-estima, mas mesmo nesse momento podemos minimizar esses os danos e isto pode ser feito cuidando daqueles pontos emocionais que estão em conflito e erguer-se renovando amor próprio dentro de você. A auto-estima baixa pode ser sinal de depressão, do fato de não se sentir valorizada, ou mesmo ser conseqüência do aspecto de não ter tempo de auto-cuidar-se, pelo excesso de atividade fruto do cansaço ou pela tristeza ou produto e um conflito familiar... Trabalhando tais pontos ou o conflito interior resgata-se a vontade de viver, a alegria, a paz, assim a auto-estima é restabelecida. Para ajudar no resgate da auto-estima podemos usar as essências florais para cada situação particular e individual, como terapia complementar não medicamentosa e eficaz. Cada um é uma pessoa impar que embora possa haver semelhanças, cada qual tem sua história, sua forma de perceber o mundo externo, uma vida, uma família etc. e reage de acordo a interpretação individual e base pessoal às diversas situações e desafios. Tudo isto deve ser considerado para a indicação das essências florais adequadas. Vamos trabalhar as dificuldades e superá-las? Rosangela Vecchi Bittar Especilaista em Terapia Floral pela UFPE Convido aos leiores a Comprar meu livro: O Uso Prático da Terapia Floral na Obesidade. Disponível no site: khttp://www.viaebooks.com.br/noticias/promocao-ebook-terapia-floral-na-obesidade/ Coordenadora das Práticas Integrativas e Complementares da Associação Brasileira de Alzheimer ABRAz– Regional Pernambuco Trabalhos com grupos de cuidadores. Vejam mus blogs: http://praticascomplementaresasaude.blogspot.com/ http://consultasterapiafloral.blogspot.com/ http://terapiafloralqualidadedevida.blogspot.com/ Terapeuta Floral Voluntária da Oncologia do Hospital das Clínicas da UFPE Cursos e Palestras Consultas presenciais em Boa Viagem - Pe Contato: (81)8843-0584 e 8130-5882 Consultas pela Internet: E-mail rosangela.bittar@globo.com Skype: rosangelaflorais

0 comentários:

Este Blog tem a função de transmitir informação e NÃO faz parte de uma consulta com profissionais. É preciso saber que a individualidade existe e que não é tudo que funciona para todo mundo. Informe-se e procure um profissional na hora de aplicar a informação!
Obrigada a todos que passam por aqui!