23 de fev de 2010

O efeito sanfona tem fim?

O efeito sanfona tem fim? Essa é uma pergunta muito difícil de responder para algumas pessoas. Mas nós vamos desvendar algumas coisas sobre essa temível "síndrome". A Revista Veja da semana passada trata da importância de se adotar um estilo de vida saudável para que se possa perder peso e manter a silhueta, com saúde. O texto é de Débora Borges do blog Saúde-família e foi o tema abordado no blog Cuidando do Corpo dessa semana. Segundo a reportagem de capa, "o problema é manter o novo peso por um longo período - de preferência, para o resto da vida. "Um dos fatores fundamentais para a manutenção do peso é a prática regular de exercícios físicos. Durante a fase de perda de peso, para a maioria das pessoas é mais fácil reduzir o número de calorias ingeridas do que queimar o excesso suando na esteira da academia, durante uma ou duas horas. Além disso, quem começa a praticar atividade física para perder peso tende a comer mais, recuperando parte ou mesmo todas as calorias queimadas no exercício. A longo prazo, é muito mais difícil cortar calorias no prato do que queimá-las na esteira. Cerca de 90% das pessoas que se livram do efeito sanfona praticam exercícios físicos todos os dias. A chave é encarar a ginástica como um hábito tão imprescindível quanto escovar os dentes ou tomar banho. A vantagem da atividade física é que ela não só queima as calorias necessárias para fechar a operação matemática do dia como tem o efeito de aumentar o metabolismo de repouso até o dia seguinte - quer dizer, ainda que a pessoa faça exercícios em dias alternados, ela ganha um bônus de calorias para consumir no dia sem ginástica." (...) Em seguida, a reportagem menciona que uns 15% das pessoas têm genética favorável à manutenção do peso ideal, mas adverte: a manifestação dos genes depende muito dos hábitos de vida. "Além do clássico binômio dieta e atividade física, outros dois fatores têm ganhado relevância na equação da manutenção do peso: sono reparador e controle do stress. A ciência já sabe que noites mal dormidas levam a um aumento na produção de grelina, o hormônio do apetite, e à redução na síntese de leptina, responsável pela saciedade. Já o stress aumenta a liberação de cortisol, hormônio que contribui para o acúmulo de gordura visceral. Assista ao vídeo sobre "Como manter o peso" clicando aqui. Veja a matéria completa em Saúde-família. Abraços e espero que gostem da matéria.

2 comentários:

jefhcardoso disse...

Olá. Desculpe vir assim... meio na correria; mas é que estou divulgando meu último trabalho e gostaria de saber sua opinião sobre este assunto atual e sempre instigante; falo do conto “O Diário de Bronson” que trata do tema vaidade e verdades.
Espero a sua visita e prometo retornar com melhores modos e mais tempo. (sorrio).
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com. Parabéns por seu blog e bela postagem!

24/2/10
Profª. Vânia Almeida disse...

Oi JEFH, obrigada pela visita. Vamos conhecer sim seu trabalho.

abraços

5/3/10
Este Blog tem a função de transmitir informação e NÃO faz parte de uma consulta com profissionais. É preciso saber que a individualidade existe e que não é tudo que funciona para todo mundo. Informe-se e procure um profissional na hora de aplicar a informação!
Obrigada a todos que passam por aqui!