18 de set de 2010

O Peso das Emoções na Depressão

por Rosanela Vecchi Bittar Especilista em Terapia Floral pela Universidade Federal de Pernambuco Pesquisadora - Reiki Master - Aromaterapeuta Depressão é um transtorno caracterizado por alterações emocionais, percepção do mundo distorcida que afeta as relações familiares e sociais. É uma doença que afeta crianças, adolescentes, mulheres e homens adultos e idosos; suas causa originam-se em sua grande maioria no labirinto da mente. As emoções provocam desconforto a nível mental, emocional e físico. Os fatores emocionais servem de gatilho para o aparecimento e agravamento dos processos de adoecimento. O corpo físico depende dos pensamentos e emoções, espiritualidade, da mesma forma de seus hábitos alimentares, exercícios físicos, que compõe o estilo de vida do seu “dono” ou indivíduo, somos seres integrais, nada pode ser separado, um corpo separado de sua alma, é um corpo sem vida da mesma forma que não pode prescindir de todo o resto. Sempre, fala-se em genética, mas sua contribuição é mínima, nestes casos, o que realmente pesa é a vida que cada um leva; a forma que conduz e que interpreta esta vida. Cada ser independente da genética começa a assimilar emoções desde o ventre materno, muitos problemas que vemos em consultório são gerados numa gravidez indesejada. Quando nascemos para este mundo iniciamos o processo de aprendizado absorvendo crenças familiares e experiências, padrão de comportamento no convívio com o mundo externo, apreende outras crenças, normas, que marcam nosso mental e emocional. As experiências negativas provocam e despertam emoções que passam a habitar em cada um de nós, sentimo-nos desadaptados. Somos afetados por influências externas a nós, pessoas que em nossa convivência impõem situações que ora podem ser boas ou convenientes ora negativas que implicam em sensações e sentimentos desagradáveis. Surgem as fobias, controle exarcebado, traumas, culpas, conflitos com o que realmente somos ou desejamos. O peso das emoções em nossa vida é enorme!Os desequilíbrios emocionais favorecem ao adoecimento, como a depressão. Seus sintomas variam de ansiedade, tristeza, baixa auto-estima, problemas de sono, dores sem causa específica, apatia, desânimo, irritabilidade, raiva, culpa, medo, isolamento, perda de libido, falta de concentração, choro, pensamentos suicidas, mudanças bruscas de humor, problemas de apetite. Destacamos sinteticamente, entre os vários tipos de depressão: a distimia que é crônica cujos sintomas perduram por bastante tempo como desânimo, desesperança, tristeza, choro, insegurança e pessimismo; na depressão atípica, a pessoa geralmente come demais, dorme muito, sente-se muito enfadada e apresenta um sentimento forte de rejeição; a depressão pós-parto surge após o nascimento do filho onde a natureza emocional e hormonal ficam alterados. O corpo sofre grandes transformações e o aspecto emocional da mulher também, com as novas atribuições impostas pela maternidade, o cansaço, as alterações físicas afetam a auto-estima agravando e originando a depressão. E, por último a depressão após algum evento traumático, por pesar ou perdas de diversas naturezas que atinge o indivíduo tornando-a predisposta ao desenvolvimento de uma depressão propriamente dita. As perdas incluem separações, morte, perda de emprego, perda de segurança, perda de liberdade, perda de amigos, são perdas universais, que deixam cicatrizes emocionais. Em qualquer caso, sempre existe um fato desencadeante da depressão. Pode ser um assalto, acidente, morte de um ente querido, perda de um emprego. O importante é conscientizar-se que precisamos de auxílio para superar o ciclo da depressão. Algumas pessoas preferem sedar-se para não sentir nada, o que não leva a cura, mas a manutenção do ciclo depressivo. O que leva a cura é trabalhar o quadro emocional na sua origem trabalhando o cerne da questão, suas causas. A depressão pode conduzir a somatização evoluindo para uma doença grave como Reumática (fibromialgia, artrose, lupus, etc.) ou um Câncer ou mesmo uma demência como o Alzheimer. Tenho observado em minhas pesquisas, que antes dessas doenças serem diagnosticadas sempre ocorrem episódios de depressão sucedendo a eventos traumáticos. As práticas complementares à saúde auxiliam neste processo. A Terapia com Essências Florais trata do emocional, do mental, promove assim conforto no físico, e o convívio social. Os resultados são excelentes. As essências tratam as diversas fobias, aumenta a auto-estima, o trauma, problemas do feminino, o apego, a raiva, promove segurança, protege, alinha os chacras e meridianos, as possibilidades são inúmeras e deve ser visto caso a caso. Que tal começar a cuidar-se. Que tal não deixar os problemas emocionais acumularem. Vamos criar harmonia dentro e fora de nós a partir da consciência, desejo sincero e atitude para promover esta mudança para melhor, fazendo pequenas conquistas dia a dia nesta direção. Meus blogs: http://praticascomplementaresasaude.blogspot.com/ http://terapiafloralqualidadedevida.blogspot.com/ Contato: rosangela.bittar@globo.cm

0 comentários:

Este Blog tem a função de transmitir informação e NÃO faz parte de uma consulta com profissionais. É preciso saber que a individualidade existe e que não é tudo que funciona para todo mundo. Informe-se e procure um profissional na hora de aplicar a informação!
Obrigada a todos que passam por aqui!